Mataram o Boi

| 24/06/2015 às 16:28

RELACIONADAS

 

Comentários

  1. Vandernailen Caldas disse:

    Faz anos, de longe e, às vezes, de perto sempre questionei o total abandono do enredo original do Boi Bumbá nas festividades de Parintins. O “Boi Bumbá” tem seus personagens vivos na memória de quem foi criança no tempo do Corre Campo, Tira Prosa, o Estrela de Ouro, e outros grupos dos bairros de Manaus, com seus personagens cumprindo seus papeis. Além dos referidos nessa manifestação, quero acrescentar o Diretor dos Indios (“Senhor diretor dos Indios”) e o vaqueiro (“Eu sou um triste vaqueiro amor, que anda na vaquejada…”), o grupo de índios, o Dr. Delegado que prende o Chico Tira Língua, o Fazendeiro que é o dono do boi que perdeu a língua, a Catirina que era a paixão das crianças. Associo a manifestação cultural consubstanciada no “Boi Bumbá” com a legislação indígena vigente nos primeiros anos da República com a Diretoria Nacional do Indio, do que me ocupei nos primeiros anos do curso de Direito em Manaus.

  2. socorro pereira disse:

    Excelente análise !! Uma pena que, nessa perspectiva, só poucos vislumbrem essa visão realista e cruel do nosso Festival de Parintins. Um desvirtuamento sob todos os pontos de vista, gerou essa espetacularização à moda Sapucaí do outrora boi de pano, do pai Francisco e todos os personagens que em pleno seculo 21 chegam ao extremo da glamourização !
    Uma pena !!

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »