Copa do Mundo: um evento agressivo à sociedade

| 02/06/2014 às 10:38

RELACIONADAS

 

Comentários

  1. J Eduardo Dantas disse:

    Renan, achei o texto bem legal. Mas há alguns aspectos importantes sobre este assunto que você não mencionou: os mais significativos, ao meu ver, são o fato de que o Governo brasileiro SE CANDIDATOU a ser sede de Copa do Mundo (ou seja, solicitou o evento), confirmando a sua afirmação de que o Governo tem usado, desde então, a “coerção” para vender o evento; e o fato de que boa parte do ~ legado ~ que ficou pelo meio do caminho é culpa dos nossos próprios governantes, que se enrolaram em disputas políticas, atrasos de pagamentos, liberação de recursos e projetos mal planejados e executados. Na minha opinião, a Copa em si não é um problema – mas os resultados que queremos e que vamos obter com ela é que são pífios e ridículos. Vá lá, que o Brasil ganhe a Copa – mas fora isso, não há muito o que ser comemorado e celebrado, né? : (

    • Renan Albuquerque disse:

      Prezado Eduardo, você identificou uma problemática singular e apropriada em sua avaliação: a da publicidade dirigida e “coercitiva”, oriunda do Estado enquanto gerador de uma idolatria ao evento — que em si é bem-vindo, mas que não vai deixar legado socioambiental. Obrigado pela pertinência das considerações.

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »