Foto&Video Realidade

“A criançada não vai ter alimento para sobreviver”, diz Arlindo Kayabi

TI Kayabi no rio Teles Pires (Foto: Attilio Zolin/ForestComunicação)
29/03/2017 18:28

Por Sucena Shkrada Resk 
O educador indígena Arlindo Kayabi é o terceiro entrevistado pelo Projeto Audivisual #Vozesdosatingidos do Fórum Teles Pires, apoiado pelo Instituto Centro de Vida (ICV).

Arlindo Kayabi, de 39 anos, relata como era a vida antes da usina e o que aconteceu depois da barragem.

“Antes era tão bom, tão bonito. A gente conseguia ver os peixes nadando no rio. [Hoje], a gente não consegue ver mais. O rio está muito sujo. As coisas ficaram difíceis. Os rios ficaram completamente diferentes. Até os peixes que a gente pegava tão rápido não tem mais”, diz o professor indígena.

Ele conta que muitos peixes estão morrendo, situação que pode comprometer a alimentação das futuras gerações. “Daqui para frente, a criançada não vai ter esses alimentos para sobreviver. Não será fácil para eles”, afirma.

O projeto, lançado no início deste mês, tem o objetivo de dar visibilidade às reivindicações dessa população vulnerabilizada, ao acompanhar a mobilização indígena e de ribeirinhos pela defesa de seus direitos e por justiça socioambiental diante de efeitos vivenciados após a implementação de hidrelétricas no rio Teles Pires.

A aldeia Kururuzinho fica na Terra Indígena Kayabi, onde também vivem os índios Apiaká e Kayabi.

 

A fotografia que ilustra esse texto é de autoria de Attilio Zolin/ForestComunicação.

 

Sucena Shkrada Resk é jornalista do Fórum Teles Pires (FTP) e do Núcleo Centro de Vida (ICV). A foto desta matéria é de sua autoria. Veja o vídeo abaixo:

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »