Foto&Video Realidade

“Não tem mais peixe no rio Teles Pires”, diz Judite Kayabi

07/03/2017 17:20

Por Sucena Shkrada Resk

 

O Projeto Audiovisual #Vozesdosatingidos do Fórum Teles Pires, de Mato Grosso, tem como entrevistada, nesta semana, a indígena Judite Kayabi, da Aldeia Kururuzinho, que fica de um lado do braço do rio Teles Pires, no Pará. 

Na entrevista, realizada em fevereiro deste ano, Judite Kayabi falou sobre os impactos socioambientais que estão vivenciando seus familiares e a  comunidade, após o início do funcionamento da Usina Hidrelétrica (UHE) Teles Pires.

A narrativa traz as preocupações de Judite principalmente quanto à manutenção da qualidade das águas do rio, segurança alimentar e à preservação cultural de seu povo, no contexto da instalação dos grandes empreendimentos de infraestrutura.

 

“A água está toda poluída. A gente sente até coceira”, disse Judite. 

O #VozesdosAtingidos tem o objetivo de promover um espaço de comunicação no qual (indígenas, agricultores familiares e outros) atingidos pelo processo de instalação e funcionamento de empreendimentos hidrelétricos (de infraestrutura) no rio Teles Pires, que fica na Bacia do Tapajós, possam se expressar e expor suas reivindicações e situação atual.

Por muitas vezes, essas vozes têm dificuldade de ecoar suas manifestações. Esta iniciativa apresenta o recorte de justiça socioambiental, dos direitos indígenas e humanos. A proposta é que haja uma entrevista a cada semana até o mês de maio, nesta primeira etapa do projeto para colocar esta temática para reflexão sobre o modelo de gestão da matriz elétrica/energética e do respeito aos direitos dos povos indígenas e tradicionais.

 

Sucena Shkrada Resk é jornalista do Fórum Teles Pires (FTP) e do Núcleo Centro de Vida (ICV). A foto desta matéria é de sua autoria.

Veja aqui:

Notícias relacionadas

Comentários

  1. Avelina de Aquino Marques disse:

    Senti este problema a um ano atrás, na aldeia referida, a dificuldade para visitar as comunidades ribeirinhas, algo precisa ser feito ou será uma catástrofe programada, após as chuvas o rio baixa as águas e poluída, do que irão se alimentar? Estão a cada mais ameaçados por terra água e ar com as queimadas. Lutar sempre desistir jamais.

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »