Vila do Curiaú guarda a memória da história dos quilombolas, no Amapá

| 13/09/2017 às 20:19

RELACIONADAS

 

Comentários

  1. Pedro Bosque disse:

    Pelo que a reportagem mostra, os homens do Curiaú não andam apoiando as lutas das mulheres do Quilombo.

  2. joao ataide disse:

    Achei a reportagem muito impontante para nossa visibilidade, há de corrigir apenas algumas questões que ainda nos oportuna: Não somos descendentes de escravos, REMANESCENTES DE ESCRAVOS”
    As pessoas não nasceram ESCRAVAS!, quanto a cultura exitem duas questões – marabaixo é marabaixo, no marabaixo as musicas são chamadas de ladroes de marabaixo e batuque é batuque as rítmicas são chamadas de bandaias. São duas coisas diferentes.

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »