Economia e Negócios

Subsidiária da Coca-Cola no AM enfrenta ação por dano ambiental

Por Elaíze Farias Publicado em: 23/12/2013 às 01:56
Subsidiária da Coca-Cola no AM enfrenta ação por dano ambiental
Elaize
Elaíze Farias

Cofundadora da Agência Amazônia Real e editora de conteúdo. Atuou como repórter em jornais de Manaus como A Crítica, Diário do Amazonas e Amazonas em Tempo. Especializou-se na produção de reportagens sobre temas socioambientais na Amazônia com enfoque em povos indígenas e povos tradicionais, direitos territoriais, direitos humanos, entre outros. Possui três premiações: Prêmio Imprensa Embratel, Prêmio Onça-Pintada de Jornalismo e Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico. Foi assessora de imprensa da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab). É jornalista formada pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). ([email protected]/[email protected])

3 Comentários

  1. Avatar jose s sobrinho disse:

    Leidimar Brigatto
    Vc sabe informar se a empresa tem excedente de briquetes de bagaço de cana para comercialização.

    Temos interesse em um container em pallets ou a granel com respectivos preços por tonelada para retirada no local ou fob vancouver.

    Apreciavel se tiver fotos historicas quando era pastagem degrada.

    Grato

  2. Ao contrário do que a jornalista menciona na matéria, o IPAAM informou em Nota que em Relatório Técnico de Fiscalização Nº 25/2011 – GCAP de 7/6/2011, consta na descrição da atividade produtiva que a interessada comunicou que já não realizava mais a queima prévia da palha da cana-de-açúcar. Informa ainda que a última fiscalização foi realizada em 13 de julho de 2012 com a finalidade de renovação de licença para a atividade produtiva. Infelizmente a jornalista deu publicidade a informações desatualizadas. Fica o registro.

    • Avatar Amazônia Real disse:

      Cara Leidimar, esta nota não chegou para mim. A única nota do Ipaam recebida sobre o assunto data do dia 22 de novembro, onde há um histórico das renovações de licenças feitas pela Gerência de Controle Agropecuário (GCAP). Na nota, há também informações sobre o atual prazo de licenciamento, que vence em 2015 (conforme eu digo na matéria). Depois de novas apurações e com mais informações obtidas sobre o assunto, inclusive sobre o fato da empresa ter alegado não queimar mais palha, entrei novamente em contato com a assessoria de Ipaam. Foi quando solicitei as informações sobre a fiscalização mais recente, se a empresa de fato deixou de fazer queimadas e se era possível eu obter uma cópia do laudo com informações sobre a fiscalização. Durante dois dias (quinta-feira e sexta-feira) aguardei a resposta. A matéria foi editada no domingo, sem resposta até então. Obrigada pelas informações em seu comentário. Abraços. Elaíze Farias.

Deixe o seu comentário!

Prezados leitores e leitoras da Amazônia Real, o espaço de comentário do site é para sugestões, elogios, observações e críticas. É um espaço democrático e de livre acesso. No entanto, a Amazônia Real se reserva o direito de não aprovar comentários de conteúdo preconceituoso, racista, sexista, homofóbico, com discurso de ódio e nem com links de outros sites. Muito obrigada.