Cultura

Lúcio Flávio Pinto passa a integrar a redação da Amazônia Real

10/11/2016 14:37

 

O jornalista Lúcio Flávio Pinto passa a integrar a partir desta semana a equipe da redação da Agência de Jornalismo Independente Amazônia Real e a assinar uma coluna, em novo espaço no site, escrevendo artigos e reportagens exclusivas, com periodicidade semanal, sobre temas regionais de relevância, mas que, como ele próprio diz, são “maltratados pela imprensa tradicional”.

Paraense, natural do município de Santarém (no Baixo Amazonas) e residente em Belém, Lúcio Flávio Pinto é reconhecidamente o mais importante jornalista da Amazônia e um dos mais respeitados no Brasil. Ele escreve desde 1966 sobre corrupção, grilagem, hidrelétricas, mineração, desmatamento, tráfico de drogas, sendo uma testemunha das transformações da região a partir da construção da rodovia Transamazônica, aberta para “integrar” o país durante o governo da ditadura militar (1964-1985).

De 1971 a 1989, Lúcio Flávio foi repórter do jornal “O Estado de S. Paulo”. Em 1987 fundou o “Jornal Pessoal”, newsletter quinzenal que ele escreve sozinho, sendo um pioneiro no jornalismo independente. A publicação impressa de distribuição bimensal, sem publicidade, tem uma tiragem de dois mil exemplares, mantida com recursos próprios e com a venda aos leitores de Belém.

Com o “Jornal Pessoal”, Lúcio Flávio tornou-se ícone da resistência do jornalismo independente no país, isto muito antes do avanço da internet e das possibilidades tecnológicas da rede mundial de computadores.

Lúcio Flávio Pinto é sociólogo formado pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo (1973). Foi professor visitante (1983/84) do Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade da Flórida em Gainesville, nos Estados Unidos. E professor visitante no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos e no Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Pará.

Lúcio Flávio Pinto, posa durante sessão de fotos em Belém (PA). (Foto: Paulo Santos/Amazônia Real)

Lúcio Flávio Pinto, posa durante sessão de fotos em Belém (PA). (Fotos: Paulo Santos/Acervo H)

É autor de 21 livros, sendo o mais recente “O Fim da Amazônia – Desmatamento e Grilagem”, editado em 2015 pelo grupo de pesquisa Nova Cartografia Social da Amazônia, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), uma publicação que reúne algumas de suas inúmeras e extensas reportagens.

Em recente entrevista concedida ao site Mongabay, Lúcio Flávio Pinto diz que a mídia brasileira ignora a Amazônia em grande medida. Para ele, durante muito tempo, a mídia só cobriu casos exóticos como o fato de um animal selvagem ter matado um homem. Ainda hoje, as relações entre a economia nacional e a floresta não são divulgadas.

“Cinquenta quilômetros daqui [Belém], há uma fábrica de alumínio que é o maior consumidor individual de energia do Brasil”, disse Lúcio Flávio. “Ninguém fala sobre isso.”

Provocador, ele diz que os grandes investimentos em barragens, exploração de minérios e outras indústrias extrativistas da Amazônia, em grande parte, foram feitos para atender à demanda internacional ou à da região Sudeste do Brasil – nunca à demanda local.

“O século 21 começou em 1973, não em 2001”, disse Lúcio Flávio ao se referir à crise energética global. “Tudo começou com a escassez de energia, com a consciência de que ela é cara e escassa – e a Amazônia é a maior reserva mundial de energia.”

 

Premiações e reconhecimento

Durante aos mais de 30 anos de carreira profissional, o jornalista Lúcio Flávio Pinto foi reconhecido com prêmios nacionais, entre eles o Esso e os promovidos pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e o Vladimir Herzog (2012), além de internacionais, especialmente por seu trabalho em defesa da verdade e contra as injustiças sociais, como os prêmios Colombe d’oro per La Pace, em Roma (2005), CPJ (Comittee for Jornalists Protection), de Nova York. Foi considerado um dos 100 Heróis da Informação pela organização Repórteres Sem Fronteiras, de Paris, e um dos 100 jornalistas mais admirados do Brasil, pela revista Jornalistas & Cia. E Max Press, ambos em 2014.

Lúcio Flávio é responsável ainda pelos sites: Agenda, Cabanagem e Jornal Pessoal.

Leia o artigo na nova coluna: O apito do trem

Notícias relacionadas

Comentários

  1. Marilene Pantoja disse:

    Que maravilha poder ler por aqui os artigos do brilhante jornalista Lúcio Flavio Pinto. Essa era, de fato, uma lacuna do Amazônia Real. É impossível não associar o Lúcio Flávio e seus inúmeros trabalhos dedicados à região, a qualquer questão amazônica. Do meu ponto de vista, é o maior conhecedor da Amazônia. Parabéns pela excelente aquisição!

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »