×

Lúcio Flávio Pinto

Autor

Lúcio Flávio Pinto é jornalista desde 1966. Sociólogo formado pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo, em 1973. Editor do Jornal Pessoal, publicação alternativa que circula em Belém (PA) desde 1987. Autor de mais de 20 livros sobre a Amazônia, entre eles, Guerra Amazônica, Jornalismo na linha de tiro e Contra o Poder. Por seu trabalho em defesa da verdade e contra as injustiças sociais, recebeu em Roma, em 1997, o prêmio Colombe d’oro per La Pace. Em 2005 recebeu o prêmio anual do Comittee for Jornalists Protection (CPJ), em Nova York, pela defesa da Amazônia e dos direitos humanos. Lúcio Flávio é o único jornalista brasileiro eleito entre os 100 heróis da liberdade de imprensa, pela organização internacional Repórteres Sem Fronteiras em 2014. Acesse o novo site do jornalista aqui www.lucioflaviopinto.com.

Na transição dos séculos XX e XXI, escrevi muitas matérias denunciando a exploração destrutiva e a ameaça de desaparecimento do mogno na Amazônia. Por causa dessas matérias fui processado judicialmente pelo empresário Cecílio do Rego Almeida, que me processou na justiça do Pará três vezes. O dono da Construtora C. R. Almeida (falecido posteriormente) se […]

12:50

Getúlio Vargas cobrou algumas providências dos Estados Unidos para incorporar soldados brasileiros às tropas aliadas na Segunda Guerra Mundial. Entre as principais, uma usina siderúrgica na região central, que incrementaria a industrialização nacional e assim consolidaria a hegemonia do Sul. E uma infraestrutura social para o Norte, que se materializaria com a instalação, em Santarém, […]

27/03/2024 14:58

Em 1972, foi realizado em Estocolmo, na Suécia, o primeiro encontro de amplitude mundial para discutir um tema então de vanguarda: as relações entre o desenvolvimento e o meio ambiente. O índice de desenvolvimento era o marco de referência e de distinção de todas as nações do planeta, o principal ou aquele objetivo que os […]

21/03/2024 15:43

(Este texto foi publicado em julho de 2016. Como, infelizmente, não só continua atual como seu tema, com um novo desdobramento no início do mês, é ignorado pela grande imprensa, decidi reproduzi-lo.) Nos 10 primeiros anos depois do fim da ditadura, entre 1986 e 1996, foram registrados 660 assassinatos no campo, mais do que as […]

15/03/2024 17:30