×

Philip M. Fearnside

  Em setembro de 2009, uma audiência pública foi realizada em Altamira, para a discussão obrigatória do segundo EIA (i.e., [1]). A audiência foi realizada para discutir o EIA somente dois dias após este documento ser liberado para o público, contribuindo para a falta de verossimilhança da audiência como debate informado [2]. Essas audiências têm […]

05/03/2018 18:16

  A inviabilidade econômica de Belo Monte sem barragens rio acima para armazenar água para uso durante a estação seca tem sido interpretada como implicando que haverá uma “crise planejada”, depois de Belo Monte estiver completa, quando descubriria-se de repente que a vazão é insuficiente [1, 2]. Lúcio Flávio Pinto ([3]: 25 & 69) qualifica […]

26/02/2018 19:20

  Em 31 de outubro de 2007, a ELETROBRAS lançou uma apresentação em Powerpoint [1] de um novo inventário do Rio Xingu (embora não fosse liberado o inventário propriamente dito [2]. Foram considerados três alternativas, dois com quatro barragens (mas com diferentes níveis de água nos três que seriam a montante de Belo Monte) e […]

14/02/2018 18:58

  O EIA que foi preparado em 2002 [1] nunca foi formalmente submetido ao IBAMA. Decisões judiciais proferidas em 2001 e 2002, que aceitaram alguns dos argumentos em uma Ação Civil Pública (ACP) movida pelo Ministério Público Federal (MPF), resultaram na suspensão do processo de licenciamento [2]. Barragens rio acima foram inteiramente omitidas neste primeiro […]

05/02/2018 17:59

  Um golpe de sorte para os defensores da barragem foi fornecido pelo “Apagão” de 2001, uma crise de energia com apagões descontroladas em quase todo o Brasil, seguido por uma série de apagões controlados e medidas de racionamento de eletricidade. A crise foi causada principalmente pela má gestão [1]. Descontentamento público tornou fácil argumentar […]

29/01/2018 18:30

O ano de 1989 também viu o lançamento da versão em português de um livro editado pela Sobrevivência Cultural (Cultural Survival) e a Comissão Pró-Índio de São Paulo (CPISP) mostrando os impactos desastrosos que as barragens do Xingu teriam sobre povos indígenas [1]. Em fevereiro do mesmo ano a “Manifestação de Altamira” (oficialmente o “Primeiro […]

22/01/2018 21:06

A Constituição brasileira de outubro de 1988 incluiu disposições sobre projetos de desenvolvimento que afetam povos indígenas, fazendo necessária a aprovação pelas duas câmaras do Congresso Nacional (artigo 231, parágrafo 3º) e especificando que “É vedada a remoção dos grupos indígenas de suas terras, salvo (….) em caso de catástrofe ou epidemia (….) garantido, em […]

15/01/2018 17:03

Os estudos sobre impactos ambientais começaram em 1985, para qual a empresa de consultoria CNEC que tinha feito o estudo de viabilidade foi contratada [1]. consultores para coletar dados a serem utilizados pelo CNEC na elaboração do relatório. Os consultores assinaram contratos, comprometendo-se ao sigilo, que tem sido uma limitação séria desde o início de […]

08/01/2018 15:13

O planejamento para uma série de barragens no Rio Xingu começou em 1975, durante a ditadura militar do Brasil de 1964-1985. Em 1975, este autor estava morando em uma das áreas de colonização da Rodovia Transamazônica a 50 km de Altamira [1]. Em uma visita ao escritório em Altamira do Instituto Nacional de Colonização e […]

18/12/2017 19:11

  A luta para parar a barragem de Belo Monte, cujo reservatório foi enchido em dezembro de 2015, tem lições para outras lutas por recursos na Amazônia e em outros lugares. Entre os impedimentos que não conseguiram parar a barragem foram os esforços de resistência de vítimas indígenas e não indígenas dos impactos da barragem, […]

11/12/2017 20:19

O efeito poderoso de financiamento internacional sobre as lutas por recursos naturais manifesta-se na história passada. Um exemplo disso é o programa POLONOROESTE, que reconstruiu e pavimentou a rodovia BR-364 (Cuiabá-Porto Velho) e abriu Rondônia para migração e desmatamento maciço [1]. O financiamento do Banco Mundial significou que os contribuintes na Europa e na América […]

04/12/2017 12:26

Um dos fatores que enfraqueceu a participação de ONGs internacionais na luta contra Belo Monte foi o fato de que a barragem foi, pelo menos no papel, inteiramente paga por fontes brasileiras. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiou 80% do total de custos, e o resto foi obtido a partir dos […]

27/11/2017 19:21

A “necessidade” de Belo Monte é questionável, uma vez que o Brasil tem muitas outras opções de energia. As projeções da demanda para eletricidade, que são subjacentes aos planos de construção de barragens, são grosseiramente exageradas [1]. Além disso, nem toda a “demanda” é realmente “necessária”. Sendo que apenas 28,7% da eletricidade do Brasil é […]

21/11/2017 17:10

O lado pró-barragem conseguiu, em grande parte, neutralizar os vários argumentos questionando Belo Monte. A maior parte da percepção popular e as reportagens na grande mídia retratam a barragem como um investimento sábio para o País, tendo impactos mínimos e sendo um projeto que é necessário para reduzir as contas de eletricidade e evitar apagões […]

14/11/2017 16:41