Hidrelétricas no rio Trombetas preocupam quilombolas e indígenas do Pará

| 21/04/2014 às 10:30

RELACIONADAS

 

Comentários

  1. Trabalhei em Cachoeira Porteira no período de 1972 a 1976, pela Construtora Andrade Gutierrez e depois fomos para Porto de Trombetas em 1976 a 1979.Assim morei com a minha familia em garretas para depois foi construido a Vila de Cachoeira

  2. André Mussi Jacob Guslen disse:

    É uma lastima a contrução de barragem no rio Trombetas é ainda uma das poucas regiões intocadas pelo homem, com uma biodiversidade enorme e repleta de história.
    Com certeza essa barragem não é necessária, sendo que já está sendo construída a de Belo Monte, que inclusive vai ser uma das maiores do mundo.
    Para que tanta barragem?

  3. Jorge Rocha dos Reis disse:

    Simplesmente o projeto da hidroelétrica localizada na área de Cachoeira Porteira não foi levado adiante devido a quebra do pais no final do governo Figueiredo, agravada pelo péssimo governo Sarney.

    Quem conhece o estudo metódico idealizado no governo militar denominado Projeto Radam, estudo este que visava a integração da Amazônia, tomou conhecimento do cinturão de PCH ( denominadas hidrelétricas de baixa queda), partindo de Balbina No rio Uatuma tendo mais duas pequenas usinas (katuema e Nhamunda) até chegar em Cachoeira Porteira.
    Após três décadas e rigor da legislação ambiental , tais projetos tornaram-se inviáveis

Deixe seu comentário

Leitores e leitoras, seus comentários são importantes para o debate livre e democrático sobre os temas publicados na agência Amazônia Real. Comunicamos, contudo, que as opiniões são de responsabilidade de vocês. Há moderação e não serão aprovados comentários com links externos ao site, ofensas pessoais, preconceituosas e racistas. Agradecemos.

Translate »