Economia e Negócios

Profissão jornalista: a greve nas empresas da família Barbalho que mudou o jornalismo no Pará

Amazonia Real Por Kátia Brasil Publicado em: 13/05/2016 às 17:51
Profissão jornalista: a greve nas empresas da família Barbalho que mudou o jornalismo no Pará
Kátia
Kátia Brasil

Kátia Brasil é co-fundadora e editora executiva da agência de jornalismo independente e investigativo Amazônia Real, com sede em Manaus (AM). Formada pela Faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, é radicada na Amazônia desde os anos 1990, onde trabalhou na TV Cultura e jornais O Globo, A Gazeta de Roraima, O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo. Entre os prêmios que ganhou estão o Esso Regional Norte 1991 e Women Journo Heroes (#JournoHeroes), da International Women’s Media Foundation (IWMF), em 2019. Ganhou o Prêmio Abraji de 2020 e o Comunique-se em 2021. Está na segunda posição dos +Premiados da Imprensa Brasileira 2021. É conselheira da Artigo 19, da Énois escola de jornalismo e do projeto Tornavoz. Integra o forbiddenstories.org ([email protected])

2 Comentários

  1. Ruben Martínez disse:

    Es un buen reportaje es una situación global que esta viviendo la mayoría de los periodistas , por ejemplo en Colombia hace aproximadamente 15 días se presento un caso parecido : ” Renunció todo el equipo de periodistas del Diario del Huila” LINK http://www.elespectador.com/noticias/nacional/renuncio-todo-el-equipo-de-periodistas-del-diario-del-h-articulo-629986

Deixe o seu comentário!

Prezados leitores e leitoras da Amazônia Real, o espaço de comentário do site é para sugestões, elogios, observações e críticas. É um espaço democrático e de livre acesso. No entanto, a Amazônia Real se reserva o direito de não aprovar comentários de conteúdo preconceituoso, racista, sexista, homofóbico, com discurso de ódio e nem com links de outros sites. Muito obrigada.

RELACIONADAS